Tempo em
Uberaba

20 de fevereiro de 2018 | 01h 13
Como trabalhar com gatos em campanhas publicitárias?
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Redação JC
jcuberabacontato@gmail.com
Publicado por: Redação JC

Cecy Passos e Felícia Delícia - Foto Lionel Falcon

Quem convive com gatos sabe o quanto esses animais são independentes, com vontade própria e, por isso, requerem tratamento diferenciado. Em campanhas publicitárias, isso não é diferente. Os bichanos precisam de cuidados especiais e de relacionamento favorável com toda a equipe para ter um bom desempenho durante um job.

Segundo a treinadora e expertise em gatos da Pet Model Brasil, Cecy Passos, os gatos são capazes de ter uma performance incrível em campanhas. Diferente de cachorros, os gatos não são adestrados, mas condicionados para marcar alguns comandos.

Por isso, Cecy conta que esses animais devem passar por um processo diário até serem disciplinados. “Apesar de terem vontade própria, é preciso ter uma boa relação de troca entre o tutor ou treinador com o pet. Eles têm limitações e são sensíveis, por isso é preciso ter sinergia e manter o treinamento até o fim”, explica.

Quando uma empresa ou produtora solicita o pet para a Pet Model Brasil, a agência realiza uma seleção com base no animal que melhor se encaixa para aquela proposta. Depois, Cecy faz uma avaliação para conferir o nível de disciplina e se há necessidade de mais treinamento. “Eu analiso quais são os comandos necessários para aquele case e vejo se o animal sabe realizar. Normalmente, solicitam ações como: movimentação de língua, dar a pata, ficar de barriga para cima, caminhar sozinho, apoiar pata”, afirma.

Quando tudo estiver pronto para o job começar, a produtora recebe todas as orientações que devem ser seguidas à risca para que o gato se sinta confortável e tenha um bom desempenho no trabalho. 

Felícia Delícia em gravação para longa metragem - Foto Divulgação 

 

Algumas das orientações são:

Silêncio total

Enquanto o animal estiver realizando o job, seja uma gravação ou campanha, é necessário que toda a equipe e o local estejam em silêncio. Gatos se distraem muito fácil e estão sempre ligados no que acontece a sua volta. “Por serem caçadores natos, os bichanos ficam atentos aos sons e estão sempre na linha de defesa, por isso, ter silêncio absoluto é essencial”, explica Cecy.

Sem zonas de fuga

O espaço selecionado para campanha não pode ter rotas de fuga, porque, caso o gato se distraia, ele vai procurar uma saída. Junto ao envio da proposta, a produtora deve enviar fotos e vídeos para avaliação.

Ambiente fresco

Gatos não toleram um ambiente quente. O local escolhido para a gravação deve ser refrigerado ou fresco, assim, isso não será um incômodo para o pet. Além disso, a Pet Model Brasil solicita que a produtora deixe à disposição do animal água fresca e mineral.

Tempo de job

No dia da gravação, a produtora deve programar para que as cenas com o gato sejam logo no início, porque o bichano estará com disposição e concentração total para realizar o job. O tempo de gravação não pode ultrapassar 6 horas, já que isso causa um estresse desnecessário ao animal.

Atualmente, os gatos modelos da Pet Model Brasil recebem todos os tipos de proposta, como campanhas fotográficas, produções audiovisuais.... Porém, a demanda para curtas e longa metragens cresceu consideravelmente no setor.

A maior campanha com gatos realizada pela agência foi a longa metragem Amigas de Sorte. Além de ter como estrela a bichana Felícia Delícia, o elenco conta com participação de Suzana Vieira, Arlete Saller e Rosi Campos. O resultado final estará em breve nos cinemas de todo o país.

Para mais informações, acesse o site www.petmodelbrasil.com.br.  

Informações enviadas por Luisa Varella | Agência Contatto - Gestão de Assessoria de Imprensa e Conteúdo

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2019 · Jornal da Cidade