Tempo em
Uberaba

11 de janeiro de 2014 | 14h 45
Entrevista com a atriz Giovanna Lancellotti (Exclusivo)
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Rodrigo Tubaraum
tubaraum.loc@gmail.com
Publicado por: Rodrigo Tubaraum
A atriz global Giovanna Lancellotti de 20 anos esteve no dia 20 de dezembro em Uberaba inaugurando a Samsung Store no Shopping Center Uberaba e bateu um papo com a gente com exclusividade para o portal Jornal Cidade. Dá uma olhada!
 
 
Boa noite Giovanna, como é que você está?
Boa noite. Tudo ótimo graças a Deus. Estou adorando a cidade. Passei por Uberlândia (inaugurando outra loja) antes de vir pra cá e eu morava em uma cidade com divisa com Minas também. Divisa com Poços de Caldas, acho que Sul de Minas ... e então estou me sentindo super em casa, com sotaque, a galera super receptiva ... estou adorando.

Você é de Ribeirão Preto/SP, não é?
Eu nasci em Ribeirão Preto, mas vivi a vida toda em São João da Boa Vista que é pertinho de Poços de Caldas.

... e mesmo nascendo em Ribeirão Preto, você estudou na cidade?
Não. A vida inteira, até os meus 15 anos eu morei em São João da Boa Vista. Aí depois me mudei pra São Paulo aos 15 anos e com 17, tive que mudar para o Rio. Estou lá até hoje.

Como pintou essa sua vontade de ser atriz? Você já tinha escolhido isso desde a época do colegial?
Cara, desde que eu me entenda por gente, desde que me lembre, eu sempre lembro de mim falando que queria ser atriz ou veterinária. Eu sou apaixonada por animal também, mas a minha veia para o teatro falou mais alto e minha avó percebeu isso. Eu brincava de boneca e imitava cena de novela com ela. Com isso, minha mãe me colocou numa aula de teatro e a partir de então, virou uma paixão pra mim. Com 15 anos me mudei pra São Paulo pra fazer teatro profissional lá, por que em São João não tinha e as coisas foram se encaminhando. Com 17 fiz o teste pra Insensato Coração e entrei. Fui tudo muito rápido. Com isso, tive que mudar para o Rio e desde então estou lá.

Ao todo então, quanto tempo de carreira já?
Eu estou no Rio de Janeiro já tem 4 anos ... 4 anos.

Desde que você começou fazendo o seu primeiro trabalho até os dias de hoje?
Isso mesmo. Eu comecei a estudar com 15 mas começou a dar certo mesmo com 17.

Você está vivendo uma fase muito bacana da sua carreira. Tão novinha, estreante, já recebeu 2 prêmios como revelação, como é essa onda agora?
Muito legal. Eu me sinto lisonjeada. Com a Cecília eu recebi dois prêmios de atriz revelação. Com a Lindinalva recebi um de atriz coadjuvante e eu sou muito nova. Tenho muita coisa pra aprender ainda, mas pelo pouquinho de tempo que eu tenho de carreira, eu já sou feliz com isso. Eu já sei que é esse o meu caminho mesmo e tive a certeza que é isso que eu quero fazer. Eu me sinto muito feliz de trabalhar com pessoas que admiro, conviver com pessoas que admiro desde de pequena e estar do outro lado da tela, também é muito interessante.

Ah que legal! Você tem projeto pra trazer a sua peça pra Uberaba?
Na verdade essa peça já viajou e eu estou entrando nela só agora. A princípio vai ficar dois meses em cartaz no Rio, no Teatro do Leblon. A princípio, mas tudo pode mudar, tudo pode acontecer.

Conta um pouquinho dessa peça. O que é?
É uma comédia romântica. Chama Pequeno Dicionário Amoroso. Eu faço a Luíza que é um pouco, aliás, bem mais velha do que eu. Ela tem de 28 a 30 anos e eu tenho 20. Já é uma diferença relativamente grande. Ela se apaixona por um cara mais velho em um lugar totalmente inusitado. A peça conta a história de um relacionamento normal, da paixão, do início de uma paixão, onde tudo é lindo, tudo é maravilhoso, mas começam as crises, começam as brigas, começam o egoísmo dos dois e é como um relacionamento normal mesmo. Só não posso contar o final. (Risos)

Ah que pena! Já fiquei na expectativa aqui. Aliás, acho que até os seus fãs ficaram. Como é penetrar no mundinho das meninas, pois mulheres são mulheres, meninas são meninas. Você faz um tremendo sucesso com as meninas, como é isso?
Eu me sinto muito feliz por que quando eu era mais nova, eu também me inspirava e ... sei lá, me espelhava em muitas pessoas. Agora hoje em dia as pessoas, as meninas, se espelharem em mim, ao mesmo tempo que é estranho, é muito gostoso. É uma responsabilidade de certa forma, por que querendo ou não, elas sabem o que eu faço, elas sabem onde eu estou, com quem eu ando e elas seguem mais ou menos isso. Então, não posso dar uma de louca fazendo um monte de coisa errada, por que eu tenho uma certa responsabilidade. Mas eu acho muito legal. As meninas novinhas vem, me abraçam dizendo que são as minhas fãs e sabem coisas da minha vida que nem eu lembro. É muito gostoso. Eu adoro esse carinho. Guardo todas as cartinhas os presentes em casa no armário e eu tenho o maior carinho por isso.
 
Tá bom! A gente está encerrando a nossa entrevista tem um monte de gente ainda querendo falar com você, quero te agradecer demais por ter me recebido aqui, te desejo um feliz natal e um feliz ano novo, você está numa fase linda da sua carreira, que Jesus te abençoe e continue abençoando o seu caminho aí, por que você promete ...
Amém! Muito obrigada! (Emocionada)
... que você guarde tudo isso de agora, pra poder se lembrar depois ...
Eu já guardo tudo isso, mas quero guardar mais coisas. Eu quero também mandar um beijão pra galera de Uberaba, muito obrigada pela recepção, feliz natal pra todos vocês, feliz ano novo, que Deus ilumine a vida de vocês, da família de vocês e um beijo. Obrigada Rodrigo, por você ter vindo e um beijo pra você também.
Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2019 · Jornal da Cidade