Tempo em
Uberaba

21 de maio de 2020 | 18h 31
#AdiaEnem?
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Redação JC
jcuberabacontato@gmail.com
Publicado por: Redação JC

Letícia Marra escreve a coluna de Cotidiano/Cidade no JC. É estudante de Jornalismo na Universidade de Uberaba. Já trabalhou com mídias digitais e assessoria, produção de vídeos para a página de Comunicação Social da Uniube, produção de conteúdo na Central de Jornalismo da Uniube e hoje faz estágio de produção na TV.

 

Em sua coluna Letícia Marra traz o tema: #AdiaEnem?​

O Enem, Exame Nacional do Ensino Médio, é o maior vestibular do Brasil e avalia o desempenho dos estudantes de escolas públicas e particulares do Ensino Médio. Foi criado em 1998, mas somente em 2009, tornou-se uma avaliação que seleciona alunos de todo o país para ingressarem em instituições federais de Ensino Superior e para programas do Governo, como Sisu, Prouni e Fies. É por meio desses programas nacionais que é possível entrar para uma universidade, pública ou privada. O Enem acontece, geralmente, nos  meses de outubro/novembro e as inscrições são feitas em maio.

Neste ano, no dia 11 de maio foram iniciadas as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio de 2020. Nós já estávamos cientes do cronograma da prova, o calendário foi cumprido normalmente, tudo certo.

A não ser pelo "simples fato" de que estamos enfrentando uma pandemia e está tudo desestruturado!

O Gaokao, vestibular realizado na China, é considerado o maior do mundo, e foi cancelado. Outros países, como a França e Estados Unidos, também cancelaram. Mas, de acordo com o Ministro da Educação, Abraham Weintraub, não há necessidade de cancelar o Enem e nem adiar. Na propaganda divulgada pelo Governo, estudantes dizem que é o momento de se esforçar e não parar, porque não querem "perder o ano" (???). Olhando por esse lado, não faz sentido mesmo adiar o exame, certo? Seria certo, se essa realidade mostrada fosse a de TODOS que vão prestar o Exame. Mas não é. E nem é preciso ir muito longe para perceber o abismo existente entre os estudantes do nosso país.

Não vamos nem entrar no mérito de que o Enem já é desigual em circunstâncias consideradas normais, visto que os estudantes que atingem as melhores notas são aqueles que pagam cursinhos de valores exorbitantes e tem condição de estudarem durante horas a fio. Mas continuar considerando aceitável ter o exame, no meio de uma pandemia, onde os estudantes do ensino público estão com as aulas suspensas e cerca de 4,6 milhões de brasileiros não têm acesso a internet, é um absurdo sem tamanho.

Um governo que tem um ministro da Educação que diz que o maior vestibular do país “não é feito para atender injustiças sociais e, sim, para selecionar os melhores candidatos" está dizendo claramente que não se importa com quem está no ápice da injustiça e não tem acesso à uma educação digna.

É direito de TODOS os estudantes terem acesso à um ensino de qualidade, afinal pagam impostos pelo mesmo. Acredito eu que nem precisaria falar isso, mas levando em consideração a atual conjuntura, até o mais óbvio precisa ser dito. Não se pode esperar que se tenha um ensino equivalente à rede privada, porque isso seria utópico demais, mas exigir o adiamento da prova, não deveria nem estar em pauta, porque é uma necessidade! O mundo parou, cerca de 1.000 pessoas morrem todos os dias por conta do coronavírus, como se espera que realize uma prova, que mais de 3 milhões de estudantes prestam, onde precisam estar todos aglomerados dentro de uma sala de aula?

Acredito que aqui fica subentendida a resposta da pergunta do título e podemos trocar os pontos, #AdiaEnem!

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2020 · Jornal da Cidade