Tempo em
Uberaba

26 de abril de 2018 | 01h 08
Empresas optantes pelo Simples podem renegociar dívidas tributárias
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Redação JC
jcuberabacontato@gmail.com
Publicado por: Redação JC

A autorização para que empresas optantes pelo Simples Nacional possam refinanciar dívidas tributárias beneficiará milhares de micros e pequenos negócios em Minas Gerais e no Brasil. A regulamentação do Refis ocorreu na última segunda-feira (23/04), em função da publicação das resoluções 138/2018 e 139/2018 no Diário Oficial da União (DOU), pelo Comitê Gestor do Simples Nacional. Os documentos dispõem sobre o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, bem como o Microempreendedor Individual, categorias que enquadram estabelecimentos optantes por esse regime diferenciado.

A adesão ao Refis deve ser feita até o dia 9 de julho. O valor mínimo da parcela será de R$ 300, para micros e pequenas empresas, e de R$ 50 para microempreendedores individuais (MEI). Os débitos incluídos no programa são aqueles apurados no Simples Nacional, vencidos até novembro de 2017. O contribuinte terá que pagar, inicialmente, o valor de 5% do débito, em espécie e sem reduções, em até cinco parcelas. O total será a soma do valor principal, multas, juros de mora e encargos legais, inclusive honorários advocatícios. O restante do débito poderá ser parcelado em até 175 meses, com os descontos, em uma das três modalidades previstas na norma, ainda que estejam inscritos em dívida ativa ou já em fase de execução fiscal ajuizada.

De acordo com a advogada da Fecomércio MG, Mariel Orsi Gameiro, a medida é importante para aliviar as pequenas empresas. “Os empresários desses negócios poderão ampliar o prazo para quitar seus débitos conforme sua capacidade de pagamento. Além disso, a adesão ao programa suspende eventual termo de exclusão do Simples Nacional”, argumenta.

Mariel lembra que, uma vez aceito, o pedido de parcelamento implica a confissão irretratável do débito, configura confissão extrajudicial e condiciona o empresário a aceitar todos os requisitos estabelecidos nas normas relativas ao programa. No entanto, poderá ocorrer a revisão dos valores a serem parcelados, a pedido ou de ofício, para eventuais correções, ainda que já concedido o parcelamento.

O Departamento Jurídico da Fecomércio MG está à disposição para quaisquer esclarecimentos que sejam necessários.     


Sobre a Fecomércio MG

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG) foi criada em 1938, em Belo Horizonte, com a missão de orientar, proteger e representar as atividades e categorias econômicas do comércio do Estado. Com o objetivo de promover o setor terciário e oferecer as condições necessárias para os empresários fortalecerem suas empresas, a Fecomércio disponibiliza uma série de produtos e serviços exclusivos para fomentar os negócios nos 853 municípios mineiros, como assessorias econômica, jurídica e em comércio exterior, acesso a linhas de crédito, planos de saúde e muito mais.

 

Informações por: Luciana Rezende - Link Comunicação Empresarial

 

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2019 · Jornal da Cidade