Tempo em
Uberaba

23 de janeiro de 2015 | 17h 55
Um hostel que é, literalmente, uma segunda casa
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Filipe Neri
filipeneri-geotrip@outlook.com.br
Publicado por: Filipe Neri

Coluna do Filipe Neri: toda sexta-feira no portal JC

Sempre ouvi falar muito bem da capital do estado de Santa Catariana, Florianópolis. Ouvi que as praias são ótimas, lindas, badaladas e com muita gente bonita. Então, fiquei curioso para saber se lá era tudo isso mesmo. Por essa razão, incluí a cidade no roteiro de minha viagem para o Sul do Brasil. Nessa viagem, contei com a companhia de um amigo, também fotógrafo, Elioenai Amuy. Algumas fotos que ilustram esta coluna, inclusive, são deles. 

Meu voo saiu de Uberlândia (MG), fez conexão em São Paulo (SP), depois seguiu para Floripa. Logo que cheguei ao Aeroporto Internacional Hercílio Luz, percebi que ele não é tão grande. É chamado de Internacional por fazer algumas conexões e voos diretos para a Argentina. Está localizado na ilha e não na porção continental de Florianópolis.

Eu no aeroporto de Uberlândia/ Fotos: arquivo pessoal

Cheguei a Floripa no dia 29 de dezembro, à noite, e logo fui para a casa onde fiquei hospedado, que se localiza no bairro Balneário do Estreito, no continente. Durante todo o ano, os donos alugam seus quartos para estudantes e, no verão, para turistas. Encontrei essa hospedagem através de um aplicativo que se chama Airbnb, ele também tem um site. Nele, você digita o nome da cidade em que está procurando hospedagem e os dias que irá permanecer no local e logo aparecem algumas opções. Após escolher o local, entrei em contato diretamente com o dono da casa pelo Facebook. Isso foi muito bom, porque paguei mais barato. Entretanto, tive que pagar à vista. Pelo Airbnb, há a opção de parcelamento.  

A hospedagem que escolhi chama-se Segunda Casa. Os donos moram no local: a sra. Zélia, uma terapeuta encantadora, que tem grande conhecimento sobre vários lugares no Brasil e no mundo. Ela é, de fato, uma ótima pessoa para tomar um chá e bater um papo durante horas e horas. Um dos seus três filhos, Raony, policial, também tem uma ótima bagagem cultural e muitas histórias de viagens para compartilhar com os hóspedes e novos amigos. 

Detalhes da Segunda Casa 

O motivo que me levou a escolher essa hospedagem foi o fato de ter gostado muito da maneira que Raony conversou comigo pelo Facebook, da história e da proposta da Segunda Casa. O objetivo da família é proporcionar uma grande interação entre os hóspedes. Ou seja, fazer com que o viajante se sinta em sua própria casa (por isso o nome Segunda Casa). Outro fator que ajudou na decisão foi o valor das diárias para o final de ano. A Segunda Casa recebe pessoas de todos os lugares do Brasil e até do mundo, desde setembro de 2009. Por conta disso, Zélia e Raony já fizeram várias amizades e tiveram diversos momentos agradáveis.

Raony, eu e Zélia

Mais detalhes da Segunda Casa 

A casa é ampla e localizada em um ótimo bairro residencial. É situada próxima a padarias, supermercados, drogarias e a famosa ponte Hercílio Luz. Ela está em frente ao mar, com uma vista maravilhosa. Logo no meu primeiro dia de passeio por Florianópolis, Raony me mostrou o bairro, a ponte, e me levou ao centro da cidade para conhecer a parte histórica e o mercado municipal. Nesses dias, o mercado estava em reforma e somente um restaurante e algumas lojinhas populares estavam em funcionamento. Sempre procuro conhecer o mercado da cidade que visito, pois ali certamente se encontra a cultura e a identidade do lugar.

Ponte Hercílio Luz

Meu super almoço no Mercado Municipal

Já observou que o aeroporto e a ponte recebem o mesmo nome? É uma homenagem a um dos maiores governadores de Santa Catarina, Hercílio Pedro da Luz. Ele esteve no poder por três mandatos: o primeiro de 1894 a 1898, o segundo de 1918 a 1922 e, por fim, entre de 1922 a 1924, ano de sua morte.

Depois passamos pelo Museu de Armas Major Lara Ribas, sob o Forte de Sant ‘Ana, localizado debaixo da Ponte Hercílio Luz. Ele tinha como função de proteger a Ilha das embarcações que entravam pela Baía Norte. Recebe esse nome em homenagem ao Coronel da Polícia Militar Antônio de Lara Ribas, que selecionou as armas apreendidas no Estado de Santa Catarina pelo valor histórico ou de coleção e as levou para o Museu. Além das armas, o museu também conta com algumas fotografias, mapas, maquetes representando a cidade de antigamente, desenhos, canhões usados há anos. É um ótimo lugar para conhecer um pouco mais sobre a história de Florianópolis e, de quebra, ter uma vista incrível dessa cidade.

Passeio do Museu de Armas

No primeiro dia em Florianópolis, Raonye sua namorada Juli levaram meu amigo Elioenai Amuy e eu para conhecermos um pouco a vida noturna da cidade. Fomos a um restaurante que serve espetos de churrasco típicos do Sul, que dispensam comentários. Enfim, um ótimo lugar. 

No restaurante com Raony e Juli 

A programação para o réveillon teve dois shows em distintos pontos. Um aconteceu na Beira-Mar Norte, com a apresentação do grupo Só Pra Contrariar (SPC), e na Beira-Mar Continental, com a dupla sertaneja João Neto e Frederico. Eu preferi ficar na Segunda Casa, com os meus novos amigos, porque se fosse para assistir a algum desses shows teria que ir mais cedo, para garantir um bom lugar. Raonya criou um evento no Facebook, marcando todos os hóspedes da casa, algumas pessoas da sua família, e um amigo que também recebe turistas durante o verão. Para organizar a ceia, foi cobrado um valor de R$ 35,00 por pessoa. Dessa forma, ficamos todos na casa, conversando, nos conhecendo, trocando informações e conhecimentos e, principalmente, fazendo novas amizades. A foto a seguir traz todas as pessoas que estavam na casa, em frente à mesa de jantar. Nela há gente do Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste, Sul e até da Inglaterra. Foi um réveillon bem diversificado culturalmente. Podem ter certeza de que ocorreu uma grande troca de experiências e vivências de mundo entre todos desta foto.

Todos na mesa para celebrar o Ano Novo

Às 23h30min fomos para a avenida Cláudio Alvim Barbosa, próxima à ponte Hercílio Luz, para ver a queima de fogos. Praticamente a cidade toda fica próxima a essa ponte. Eu particularmente adoro ver queima de fogos, pois eles sempre ocorrem em momento importante.  Em Florianópolis foi realmente um espetáculo. Foram aproximadamente 20 minutos de queima de fogos. No final, havia uma belíssima cascata de fogos na ponte, levando todos ao delírio.

Comecei o ano de 2015 do jeitinho que eu gosto, com pessoas diferentes, fazendo novas amizades, em um lugar fantástico e viajando. Foi um momento único ter passado a virada de ano em Florianópolis. Depois da queima de fogos, ainda continuamos na avenida, porque havia show e várias pessoas comemorando a chegada do ano novo. 

Queima de fogos

Brindando a 2015! 

Juli, eu e Raony na queima de fogos

Cascata de fogos na Ponte Hercílio Luz/ Fonte: http://www.clicrbs.com.br/rbs/image/16028224.jpg?w=800

Placa mais que convidativa...

Nunca me esquecerei dos momentos em Floripa, principalmente do réveillon na Ilha da Magia, com a queima de fogos e as pessoas felizes. Uma das grandes cenas foi registrada pelo amigo Elioenai, que é o momento quando abrimos o portão da Segunda Casa e temos uma vista maravilhosa.  

Vista maravilhosa ao sair da Segunda Casa

Já adianto que as praias em Florianópolis são todas longes do centro da cidade e distantes uma das outras. Se quiser curtir somente praia em Floripa, é melhor encontrar uma hospedagem em alguma praia, mas ficará próxima somente daquela praia e estará distante do centro da cidade. Antes de escolher o local de sua hospedagem, é preciso pensar em qual é o objetivo de sua viagem. O meu era conhecer a cidade, visitar algumas praias e, principalmente, ver a queima de fogos na ponte. Por isso, o endereço da hospedagem atendeu aos meus objetivos.

Mapa de Florianópolis/ Fonte: http://www.4rentlocadoradecarros.com.br/mapas_turisticos/mapa_praias.jpg

 

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2019 · Jornal da Cidade