Tempo em
Uberaba

03 de fevereiro de 2020 | 17h 43
A verdadeira face da saúde mental atual
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Theresa Rachel Alvim
contatopsicoach@gmail.com
Publicado por: Theresa Rachel Alvim

                                  

Theresa Rachel escreve a coluna de Bem Estar & Saúde no JC, todas as SEXTAS. Psicóloga especialista em Psicoterapia Psicanalítica, Coaching de Carreira e Palestrante.

Em sua coluna a psicóloga traz o tema: A verdadeira face da saúde mental atual​

 

(Fonte: Freepik)

Vivemos um momento de imenso adoecimento da mente. Raramente você se depara com pessoas que não conhecem alguém ou que não enfrentam a dor da instabilidade emocional. A indústria farmacêutica avança no sentido positivo e negativo. Positivo, pois, a tecnologia nos estudos e análises da mente aumentam, levando assim esperança aquelas pessoas que estão passando por um sofrimento psíquico. Negativo, infelizmente no sentido químico, pois, o excesso e os efeitos colaterais de medicamentos podem afetar outras áreas do corpo humano.

(Fonte: Freepik)

Observa-se o preconceito ainda existente à respeito da nossa saúde mental. Nossa cultura ainda encontra-se com pessoas debochando de outras que estão se tratando, e fica a reflexão. Quem seria nesse caso o mais necessitado de tratamento? Aquele que aponta o dedo ou aquele que reconhece suas necessidades e respeita a si e aos demais.

Iniciou o ano de 2020 e continuam milhares de pessoas sem atendimento, sem informação, com excesso de tristezas, angústias, faltando empatia, amor, alegria.

O papel da Medicina é imprescindível nesse momento, mas vocês já notaram o quanto os médicos suicidam? Uma triste realidade, porém ao invés de apontarmos o dedo julgando os motivos, precisamos nos unir, dialogar, falar mais sobre o assunto. Percebo o medo das pessoas em falar de suas fraquezas, pois, temem a si mesmos. A autoestima baixa, falta de confiança nas suas habilidades, o excesso da tecnologia digital, a escassez de positividade. Muitas pessoas acreditam que para ter saúde mental, é necessário ter dinheiro, na minha visão em partes estão certas, pois, para obter uma boa medicação, há um alto custo, e a Psicoterapia que é necessária para o tratamento também tem um custo. Uma consulta com um especialista, o Psiquiatra é sem sombra de dúvidas uma luz na vida daqueles que estão passando por dificuldades emocionais. O papel do Psicoterapeuta é tão incrível que muitas vezes não se faz necessário o uso de medicamentos. Freud, falava sobre “a cura pela palavra”. Falem.

(Fonte: Freepik)

Vivemos em uma sociedade egoísta, que querem muito mais “ter” do que “ser”. Famílias desestruturadas, crianças abandonadas, abortos, rejeições, tráfico de crianças, lágrimas de saudades, remorsos, dúvidas, desemprego, miséria, fome. Podemos ver somente por esse lado do “caos emocional”. Me recordo dos meus 16 anos que me preocupava com o futuro, parece que é uma ansiedade que ali me avisava de como estaríamos. Reféns da tecnologia, alienados e antenados com a vida “on-line”. Em contraposição, é esta, a mesma realidade que conecta informações. Conexões positivas, muitas informações “fakes”, porém necessárias para desmistificação de vários temas. Assim como este que abordo aqui. Utilizar das redes sociais a nosso favor é saudável, por exemplo, rever familiares, amigos, conhecidos, repassar positividade, alegria, conhecimento, amor. Quantas frases despretensiosas que postamos e que tocam o dia da pessoa que está ali, do outro lado da tela e muda completamente o seu dia.

Que saibamos dosar nossos dias difíceis com esperança, fé, amor, caridade, respeito e confiança, pois, a reclamação em nada irá mudar a nossa realidade, mas atitudes de compaixão e foco no bem interno e externo sim. Não tenha vergonha de pedir ajuda, tenha consciência que somos seremos humanos imperfeitos em evolução.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2020 · Jornal da Cidade