Tempo em
Uberaba

02 de fevereiro de 2016 | 12h 57
Doenças transmitidas pelo Aedes aegypti preocupam parlamentares
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Redação JC
jcuberabacontato@gmail.com
Publicado por: Redação JC

O primeiro secretário da Mesa Diretora, Samuel Pereira (PR), está convocando a população pelas redes sociais para a batalha contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Febre Chikungunya e Zika. 
Samuel, que tem trabalhado em ações de orientação sobre a necessidade de intensificar o combate ao mosquito, é autor do Projeto de Lei 11.557/2013, que cria o Dia Municipal de Combate à Dengue. “Passamos informações de como se evitar o foco, como, por exemplo, colocando areia nos vasos de plantas, deixando o lixo sempre dentro de sacos plásticos e na lixeira fechada, entregando os pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, não deixar acumular água em terrenos abandonados, entre outras”, disse.
O vereador pede aos internautas para que assistam e divulguem o vídeo sobre o tema exposto em sua página. “Tenho muita preocupação com a saúde pública. Há tempo luto contra a Dengue em nosso município, agora temos a Chikungunya, e precisamos urgentemente evitar o Zika vírus”, frisou.
Transgênico - O segundo secretário, Ismar Vicente dos Santos – Marão (PSB), havia levantado no ano passado a possibilidade de Uberaba ser incluída em pesquisa que avalia a ação de mosquito “transgênico” [usado em algumas cidades do país na tentativa de neutralizar os exemplares da mesma espécie] na redução da infestação do Aedes aegypti. “Irei acompanhar o pedido, pois o mesmo é de suma importância para a cidade e sua população”, destacou.
Outros parlamentares também usaram as redes sociais nestes últimos dias para chamarem a atenção dos uberabenses para a causa, entre eles Denise Max (PR), Edmilson de Paula (PRTB) e Franco Cartafina (PRB). 

Zika - É um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações clínicas. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. No geral, a evolução da doença é benigna e os sintomas desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês. Formas graves e atípicas são raras, mas quando ocorrem podem, excepcionalmente, evoluir para óbito, como identificado no mês de novembro de 2015, pela primeira vez na história. Observe o aparecimento de sinais e sintomas de infecção por vírus Zika e busque um serviço de saúde para atendimento, caso necessário.

Febre Chikungunya - É uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida. Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito. O mosquito adquire o vírus CHIKV ao picar uma pessoa infectada, durante o período em que o vírus está presente no organismo infectado. Cerca de 30% dos casos não apresentam sintomas. Informações obtidas do site Portal Brasil. 

Matéria por: Dep. Comunicação - Karla Ramos

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2019 · Jornal da Cidade