Tempo em
Uberaba

21 de maio de 2018 | 06h 53
Autos Giros: Em time que está ganhando se mexe sim!
comentário(s)
A+ A-
PUBLICADO POR
Daniel Jacques - Autos Giros
contato@autosgiros.com.br
Publicado por: Daniel Jacques - Autos Giros

Daniel Jacques traz um giro semanal sobre o mundo automotivo.

Automóveis, motos, caminhões e muita informação.

http://autosgiros.com.br/​

                                               

Daniel Jacques

 

No ano passado, a Volkswagen agitou o mercado nacional ao anunciar que lançaria 20 novos modelos - entre novas gerações e inéditos - no mercado brasileiro até 2020. Depois de ter dominado o mercado brasileiro por décadas, a marca alemã vinha na terceira posição, sem apresentar novidades desde o up!, em 2014.

A estratégia começou a ser implementada no final do ano passado com o lançamento do novo Polo, seguido, em menos de seis meses, pelo sedã Virtus, a picape Amarok, o SUV Tiguan AllSpace. Resultado: em abril, a "nova Volkswagen" já foi a vice-líder no mercado, a caminho da primeira posição.

Mas e a líder Chevrolet, vai deixar por isso mesmo?

Parece que não. Ainda em 2017, bem perto da chegada do Polo, a marca da gravatinha dourada anunciava um novo de investimentos no Brasil, incluindo R$ 1,4 bilhão na fábrica de Gravataí (RS), R$ 1,2 bilhão na sede em São Caetano do Sul (SP) e R$ 1,9 bilhão na fábrica de motores de Joinville (SC). Era sinal de que algo vinha por aí..

Na semana passada veio a "revelação". A GM Mercosul, presidida pelo argentino Carlos Zarlenga anunciou que também lançará 20 novidades no mercado brasileiro até 2020. Segundo o CEO esta é “a maior renovação na história da linha Chevrolet na região", e os novos produtos “vão surpreender o mercado com conteúdo e tecnologias inéditas”.

Ambas devem trazer novos SUVs, renovar grande parte de sua linha atual e lançar modelos e tecnologias inéditas. E isso em um momento em que o mercado brasileiro passa por um "amadurecimento", no qual ganhar share se torna cada vez mais difícil.

Os dois anúncios, na verdade, indicam uma forte confiança das duas gigantes globais no mercado brasileiro e sul-americano, além de uma visão positiva de longo prazo na recuperação do setor no país. Mais do que isso, a favor do consumidor e da segurança, mostra que o nível dos automóveis disponíveis por aqui - já bastante bom em relação a alguns anos atrás - deve ter uma melhora acelerada nos próximos anos.

Boas notícias para todos!

Novo Argo

A italiana Fiat, também entre as líderes do mercado brasileiro, oficializou na última semana a nova versão de entrada do Argo. Com mais de 50 mil unidades comercializadas em pouco mais de um ano de mercado, o hatch ampliou seu line up com mais uma versão 1.0. Partindo de R$ 44.990, ele traz uma série de itens que incluem ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, trava elétrica, direção elétrica, sistema Start & Stop, computador de bordo, volante com regulagem de altura, ESS (sinalização de frenagem de emergência) e rodas de aço estampado de 14 polegadas, além de sistema ISOFIX.

Volvo sem diesel

Dentro da sua meta de não produzir mais veículos 100% a combustão a partir do próximo ano, a sueca Volvo anunciou que o novo sedã S60 – que será lançado mundialmente em breve – será o primeiro Volvo a ser produzido sem a oferta de um motor diesel. O modelo estará inicialmente disponível com uma gama de motores a gasolina Drive-E de quatro cilindros, além de duas versões híbridas plug-in a gasolina. Versões híbridas leves chegam em 2019.

Fotos: divulgação

A Volvo Cars costuma ser "vanguardista" em relação a tecnologia - e agora, emissões. Além desta meta - que ela mostra que está disposta a cumprir - a marca sueca tem também o objetivo de não haver mais acidentes com lesões graves vítimas fatais em seus veículos até 2020. Todos esperamos que alcancem ambas!

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades do
JC diretamente no seu e-mail:

 



  Agência Digital  
Todos os direitos reservados © 2018 · Jornal da Cidade